segunda-feira, novembro 27, 2006

Migração

Eles passam muito acima dos prédios e eu, da janela, vejo a flecha de pássaros cortar o céu de brigadeiro, com suas asas batendo sem pressa e silenciosamente, como num filme mudo em câmera-lenta.

Fico paralisado até que sumam na minha miopia, rumo ao sul para o qual a varanda está voltada. Parecem ter um objetivo bem definido - penso, com uma ponta de inveja.

Abro as janelas, mas voar é mais do que sentir no rosto a maresia de uma tarde quente de novembro. E mesmo que fosse igual, não tenho bússola que me aponte o caminho.

Então, a pé, atravesso a passarela e as pistas do Aterro, para, minutos depois, assistir as andorinhas se divertirem na piscina do Vasco. Com seus rasantes, ficam horas mergulhando no espelho d'água.

Até que deixo de lado o jornal que tentava ler, e sinto a paz que é o meu norte.

7 Comments:

At 12:25 PM, Blogger rmussilac said...

E a beleza não fenecia...

 
At 2:56 PM, Anonymous Cris said...

meu norte é o sul pois o norte é meu sul! =)
lindo!!

 
At 1:50 PM, Anonymous Anônimo said...

Maravilhoso.
Estava sentindo falta disso!
Você consegue transformar algo tão simples em "simplesmente" poesia.

E ainda me dizes que não escreve bem!

Beijos, Gabi.

 
At 12:22 AM, Anonymous Anônimo said...

Deu saudade de ti. sonhei com o RJ, e no sonho combinava de ve-lo. grande abraço e se cuida Ferrari...

Binha

 
At 6:25 PM, Anonymous Cintia said...

logo agora que cheguei, noto que o ônibus foi pra garagem...

voltarás? :)

 
At 10:00 PM, Anonymous Cintia said...

então a paz é o teu objetivo definido. menos instintivamente que os pássaros você descobriu isso... tem vezes em que ter um norte significar fazer uma escolha; quase sempre.

ah, os baús que podem estar em qualquer lugar.. alguns o levam dentro do peito, até.

:*

 
At 7:47 PM, Blogger Cintia M. said...

rodrigo, jura que vc não posta mais? nenhum blog atual? por favor.

minha gaveta está lotada de esquecidos milagres - empoeirados pelas dúvidas

beijo.

 

Postar um comentário

<< Home