quarta-feira, março 08, 2006

Banzo

Se não foi em um livro do Umberto Eco, li em "Criação" de Gore Vidal um personagem se referir ao horizonte como "mutável imutável curva do mar", pois ela, embora estática e idêntica, é feita de um oceano de águas que correm.

A saudade é isso: acima do turbilhão de coisas que aconteceram desde o passado até o agora, há o horizonte da nossa certeza sobre o que sempre será.

4 Comments:

At 9:37 PM, Anonymous Anônimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

 
At 9:41 AM, Blogger rmussilac said...

certezas...nunca as tive...agora, saudades...ô!

 
At 6:51 PM, Anonymous ana maria said...

TANTA SAUDADE!!!!!!!!!

 
At 6:35 PM, Anonymous A.L. said...

Ah, saudade...
Às vezes sentimos daquilo que não vivemos, e do que não foi...

 

Postar um comentário

<< Home